segunda-feira, 27 de julho de 2015

Discovery Home Health revela casos de violência contra mulheres em produção Inédita

Mia Farrow viaja com a produção ao Quênia - Divulgação

Os jornalistas Nicholas Kristof e Sheryl WuDunn escolheram abordar um assunto que ultrapassa barreiras culturais e geográficas, as diferentes formas de abuso contra vítimas “invisíveis”: mulheres e meninas que convivem com agressões como se fossem parte da rotina, diante da falta de alternativas.
Com o apoio de celebridades e personalidades, a dupla dá continuidade ao projeto que desenvolve desde 2008, com a estreia da minissérie em três episódios HALF THE SKY: TODAS AS MULHERES DO MUNDO (A Path Appears).  No ar a partir de domingo, 2 agosto, às 23h10, a produção documenta o trabalho investigativo desenvolvido pelos jornalistas na busca por histórias reais de mulheres que viveram diferentes formas de abuso e estão dispostas a contar suas jornadas de superação junto a organizações de acolhimento e amparo.
Com a participação de nomes como George Clooney, Blake Lively, Eva Longoria, Mia Farrow, Jennifer Garner, Regina Hall e Ashley Judd, a minissérie viaja pelos Estados Unidos, Haiti, Colômbia e Quênia para encontrar essas mulheres.
Em depoimentos dramáticos, as participantes de HALF THE SKY: TODAS AS MULHERES DO MUNDO revelam contextos de exploração e violência, em contraste com relatos de esperança e com o trabalho de pessoas que se mobilizam em organizações e instituições para romper o silêncio e prevenir novos abusos. São mulheres que venceram um passado de exploração e trabalham para ajudar outras pessoas que passam por situações semelhantes.
Nas ruas, em grupos de apoio ou em abrigos para mulheres que foram molestadas, Kristof e WuDunn fazem suas entrevistas lançando olhar crítico e sensível sobre uma questão universal: a vulnerabilidade dessas vítimas “invisíveis”. É por elas que os jornalistas, os entrevistadas e os apoiadores levantam a voz.
A seguir, a descrição dos três episódios de HALF THE SKY: TODAS AS MULHERES DO MUNDO. Todos eles têm introdução narrada por George Clooney.
Episódio 1 - Estreiadomingo, 2 agosto, às 23h10
O primeiro episódio aborda a prostituição e o comércio de mulheres para fins sexuais. O episódio chama a atenção para os significados dissonantes que as palavras “tráfico” e “prostituição” evocam – ao ver uma adolescente nas ruas à espera do próximo cliente, muitos imaginam que ela o faz por escolha e não associam o fato à estrutura criminosa e violenta do tráfico. Na verdade, as roupas coloridas e os sorrisos escondem uma história de chantagem, abusos, manipulação e falta de alternativas.
Os jornalistas Nicholas Kristof e Sheryl WuDunn revelam as camadas desse problema complexo, que envolve a prostituição de menores de idade, o tráfico de drogas, vício, estupro e sequestro.
Ashley Judd e Blake Lively conhecem inciativas em diferentes estados americanos onde ouvem histórias como a de Shana Goodwin, a mulher que ingressou na prostituição aos doze anos aliciada pela mãe, e que tem como primeiras lembranças os abusos sexuais perpetrados pelo próprio avô; e Savanah, a adolescente raptada aos 13 anos e forçada a se prostituir.
Episódio 2 - Estreia: domingo, 9 agosto, às 23h10
Como quebrar o círculo de mazelas que se origina na extrema pobreza? Este é o assunto do segundo episódio da série. Jennifer Garner visita um lar para crianças que faz parte da organização Save the Children. Lá, a atriz conversa com mães que buscam ajuda e crianças que nutrem a esperança de um futuro melhor.
Ainda neste episódio, a produção viaja ao Haiti – o país figura entre os mais pobres do mundo e foi destruído por um terremoto ocorrido em 2010. Apesar da ajuda financeira na casa dos bilhões de dólares, o circulo de pobreza não foi desfeito.
Rea Dol, fundadora e responsável por uma associação que busca fomentar o desenvolvimento econômico das comunidades locais por meio da educação infantil, conta sobre o projeto de resgate de crianças em situação de extrema pobreza – muitas delas são conhecidas como “restavek”: uma forma de exploração do trabalho infantil que deixa a vítima em situação de extrema vulnerabilidade.
Entre as fontes deste episódio está Marilaine, garota que é espancada em casa. Rea mobiliza ativistas e a polícia local para o resgate da garota, mas adverte que a retirada do contexto de violência não basta. A mãe de Marilaine tem doze filhos – falta comida e transporte para a escola, que fica a quilômetros da casa onde a família vive. Para Rea, crianças como Marileine são capazes de reconstruir o pais, mas para isso precisam de abrigo e de educação.
Em Cartagena, Colômbia, Eva Longoria conhece Catalina Escobar – depois da trágica morte de seu filho, Catalina decidiu dedicar sua vida à organização que ela criou e dirige, a Fundação Juan Felipe Gomez Escobar. Lá, adolescentes grávidas e jovens mães, todas elas moradoras das favelas locais, recebem apoio em diversas frentes: creche, clínica médica, educação e orientação vocacional estão entre os serviços disponíveis para milhares de mulheres atendidas. Uma das recém-chegadas à Fundação é Demalis: aos quize anos, ela ficou grávida enquanto se prostituía e vê no trabalho de Catalina a esperança para ela e o bebê.
Episódio 3 - Estreia: domingo, 16 agosto, às 23h10
O terceiro e último episódio trata sobre violência doméstica e as soluções para este problema. Em Atlanta, a produção visita duas instituições que trabalham com o mesmo objetivo, porém em diferentes frentes: de um lado a assistência jurídica e psicológica a mulheres vítimas de violência doméstica; de outro, o trabalho de educação comportamental realizado com homens.
Mia Farrow viaja com a produção ao Quênia. Lá, a atriz visita a organização Shining Hope for Communities, atuante em Kibera, uma das maiores e mais carentes comunidades no mundo. Lá, a eletricidade e a água potável são recursos escassos e não são raros os relatos de garotas sobre o histórico de abuso sexual perpetrado por parentes.
Entre os que lutam contra esta realidade está o casal formado por Jessica Posner Odede e Kennedy Odede. Os dois fundaram uma escola para garotas onde oferecem amparo legal diante do confuso sistema jurídico local, e disponibilizam serviços de saúde para vítimas como Flavian – a garota sofreu abuso sexual perpetrado pelo próprio avô  durante anos e é resgatada pelo casal Odede durante a visita de Mia Farrow.
SERVIÇO
HALF THE SKY: TODAS AS MULHERES DO MUNDO (A Path Appears)
Estreia: domingo, 2 agosto, às 23h10
Classificação indicativa: 14 anos

Seja o primeiro a comentar ;)

Postar um comentário

  ©Noticias da tv brasileira - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo