quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Documentário sobre o impacto cultural das revoluções sexuais estreia no Curta!

Historiador e antropólogo, Sylvain Desmille realiza documentários desde 1996, sempre buscando olhares novos para a história, como em “A crise dos mísseis de Cuba” (2015). Na Sexta da Sociedade10, às 22h40, o Curta! promove a estreia exclusiva no Brasil de seu documentário “Revoluções Sexuais”, que, através de arquivos inéditos e análises de pensadores, mostra as mudanças de comportamento sexual que transformaram o mundo entre as décadas de 1950 e 2000. Dos movimentos feministas e LGBTs à popularização de métodos anticoncepcionais, a revolução sexual redefiniu as sociedades e Desmille apresenta um panorama sobre a amplitude dessas mudanças. O longa francês é dividido em duas partes, sendo que a segunda vai ao ar no canal no dia 17, às 23h.


O uso da gravura como denúncia social está presente na Terça das Artes7, às 21h, com a estreia do documentário “Grupo de Bagé”, do diretor Zeca Brito. A produção mostra a trajetória do movimento artístico surgido no Rio Grande do Sul dos anos 1940, protagonizado pelos pintores e gravadores Glênio Bianchetti, Glauco Rodrigues, Carlos Scliar e Danúbio Gonçalves. Ligados ao Partido Comunista, eles fizeram da gravura uma maneira de popularizar a arte, com temáticas realistas e de denúncia social. Teóricos como Néstor García Canclini e Nicolas Bourriaud, e artistas como Anico Herskovits e Cildo Meireles investigam a trajetória dos artistas de Bagé. “Grupo de Bagé” foi produzido pela Boulevard Filmes e financiado pelo Fundo Setorial do Audiovisual, da Ancine.

Na Quinta do Pensamento, 9, às 23h30, a série “Alegorias do Brasil”, de Murilo Salles, traz o episódio inédito “Saudade do Futuro”. No programa, acadêmicos de diversas áreas falam sobre a nostalgia do tempo em que se pensava o Brasil como o país do futuro.

“Alegorias do Brasil” é a primeira produção do cineasta Murilo Salles idealizada exclusivamente para a TV.  Ao longo de 13 episódios, as alegorias brasileiras - ou seja, as expressões culturais que afirmam a nossa identidade – são colocadas em discussão e analisadas por nomes como Vladimir Safatle, Silviano Santiago, Maria Rita Kehl e Nuno Ramos. A série é uma produção da Cinema Brasil Digital com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.

A censura exercida sobre a produção musical brasileira durante a ditadura militar, tema da série “Cale-se”, ganha um novo episódio na Segunda da Música6, às 20h. Por meio de números musicais históricos ou produzidos para a série, conheceremos o repertório vetado pelos censores e suas motivações mais surpreendentes. Imagens da época e depoimentos de compositores censurados, artistas exilados, advogados, jornalistas e pesquisadores trazem à tona os bastidores da censura musical durante os anos de chumbo.

Na semana em que comemora-se o Dia dos Pais, a faixa “A Vida é Curta!”, da Quarta de Cinema, 8, às 20h, apresenta uma seleção de filmes que enfocam as relações familiares. Abrindo a sessão especial, “Buscando Helena”. Com direção de Ana Amelia Macedo e Roberto Berliner, a produção mostra a viagem dos pais para buscar sua filha adotiva. Na sequência, “Babás”, revela a histórica presença das babás no cotidiano das famílias brasileiras. E para encerrar, “Retrato de Carmem D.”, da cineasta carioca Isabel Joffily, que concorreu no festival “É Tudo Verdade” de 2015. O curta traz a história da psiquiatra Carmen, que atende seus pacientes no térreo de sua casa, onde também vive sua filha Marcela, que sempre nadou na piscina do jardim.

SEGUNDA DA MÚSICA
Cale-se (Série Musical) – Episódio: Driblando a Censura
Este episódio de Cale-se aprofunda os efeitos da promulgação do Ato Institucional nº 5 e a produção dos artistas da MPB atuantes na época. Além dos cantores e compositores já presentes no primeiro episódio, nomes como Roberto Menescal e Jards Macalé refletem sobre a realidade cultural do Brasil pós-68, resgatando suas memórias sobre a relação com os censores, o uso de subterfúgios para driblá-los, e sobre músicas específicas que enfrentaram problemas para serem liberadas.
Diretor: Marcus Fernando.
Duração: 26 min.
Exibição: 6 de agosto, segunda-feira, às 20h.
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
7 de agosto, terça-feira, às 0h.
1º de agosto, quarta-feira, às 8h.
4 de agosto, sábado, às 20h25.


Jards (Documentário)
"JARDS" é um documentário feito por Eryk Rocha que trata a vida e a obra do cantor Jards Macalé – autor de canções que ficaram famosas como “Vapor Barato”, “Gothan City” e “Movimento dos Barcos”. O filme também mostra um pouco do processo criativo do último álbum do cantor, lançado em 2011. 
Diretor: Eryk Rocha.
Duração: 93 min.
Exibição: 6 de agosto, segunda-feira, às 22h05.
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
7 de agosto, terça-feira, às 02:05h.
8 de agosto, quarta-feira, às 10:05h.
11 de agosto, sábado, às 22:15h.


TERÇA DAS ARTES
Grupo de Bagé (Documentário)
O Grupo de Bagé foi um movimento artístico surgido no Rio Grande do Sul dos anos 40, protagonizado pelos pintores e gravadores Glênio Bianchetti, Glauco Rodrigues, Carlos Scliar e Danúbio Gonçalves. Ligados ao Taller de Gráfica Popular do México e ao Partido Comunista, fizeram da gravura uma maneira de popularizar a arte, com temáticas realistas e de denúncia social. O documentário revela a apropriação destes artistas pelo sistema das artes brasileiras, do pampa gaúcho aos palácios de Brasília. Teóricos como Néstor García Canclini e Nicolas Bourriaud, e artistas como Anico Herskovits e Cildo Meireles investigam a trajetória dos artistas de Bagé.
Diretor: Zeca Brito.
Duração: 76 min.
Exibição: 7 de agosto, terça-feira, às 21h.
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
8 de agosto, quarta-feira, às 01h.
9 de agosto, quinta-feira, às 09h.
11 de agosto, sábado, às 09h.

Instantes Cruzados (Série Documental) – Chico: A Invasão dos daguerreotipistas
Em 1839, a França anunciou para o mundo a invenção da daguerreotipia, primeiro processo fotográfico comercializado. Louis Compte fotografou os primeiros daguerreótipos do Brasil no ano seguinte, com fotos do Rio de Janeiro. Chico da Costa, um dos principais daguerreotipistas na atualidade, é o convidado deste episódio, onde ele debaterá com Milton Guran sobre as transformações visuais da paisagem no país.
Diretor: Sérgio Bloch.
Duração: 26 min.
Exibição: 7 de agosto, terça-feira, às 23h30.
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
8 de agosto, quarta-feira, às 03h30.
9 de agosto, quinta-feira, às 11h30.
11 de agosto, sábado, às 21h05.

QUARTA DE CINEMA
Projeções (Série) – Kika Nicolela
Palavra, comunicação e autorrepresentação em "Trópico de Capricórnio", "What Do You Think of Me?" e "Domotilas".
Diretora: Renata Druck.
Duração: 14 min.
Exibição: 8 de agosto, quarta-feira, às 23h30.
Classificação: 10 anos.
Horários alternativos:
9 de agosto, quinta-feira, às 03h55.
10 de agosto, sexta-feira, às 11h35.
12 de agosto, domingo, às 00h.

A Vida é Curta
Esta semana, a faixa tem como tema filmes em família, em comemoração ao Dia dos Pais, com as exibições de “Buscando Helena”, “Babás” e “Retrato de Carmem D.”.
Exibição: 8 de agosto, quarta-feira, às 20h
Classificação: Livre.
Horários alternativos:

QUINTA DO PENSAMENTO
Alegorias do Brasil (Série) – Saudade do futuro
O século XX no Brasil viu prosperar o espírito modernista que jogava suas esperanças no futuro. O progresso e o desenvolvimento eram as formas de efetivar a potência desse ‘país do futuro’. Nada simbolizou melhor tal projeto do que a capital Brasília. Hoje, contudo, vivemos a frustração desse projeto e nossa saudade, assim, é daquele passado no qual se sonhava com o futuro. 
Diretor: Murilo Salles.
Duração: 27 min.
Exibição: 9 de agosto, quinta-feira, às 23h30.
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
10 de agosto, sexta-feira, às 03h30.
11 de agosto, sábado, às 21h40.
12 de agosto, domingo, às 10h20.

SEXTA DA SOCIEDADE
Revoluções Sexuais (parte 1)
Dos movimentos feministas e LGBTs à popularização de métodos anticoncepcionais, a revolução sexual redefiniu as sociedades ao redor do mundo. Através de materiais de arquivo inéditos e análises de pensadores de diferentes países, este documentário dividido em duas partes analisa o estrondoso impacto dessas transformações entre as décadas de 1950 e 2000.
Diretor: Sylvain Desmille.
Duração: 52 min.
Exibição: 10 de agosto, sexta-feira, às 22h40.
Classificação: 14 anos
Horários alternativos:
11 de agosto, sábado, às 02:40h.
12 de agosto, domingo, às 21:20h.
13 ago, segunda-feira, às 16:40h.

Sobre o Curta!
Dedicado às artes, à cultura e às humanidades, o Curta! é um canal independente que acolhe a experimentação e se orgulha de ser um parceiro dos realizadores, artistas, criadores e produtores. Com o compromisso de transmitir 12 horas por dia de programação nacional independente, o canal pauta a sua programação pelos seguintes temas: música, dança, teatro, artes visuais, arquitetura, metacinema, filosofia, literatura, história política e sociedade.

O Curta! pode ser visto nos canais 56 e 556 da NET e da Claro TV, no canal 75 da Oi TV e no canal 664 da Vivo, oferecido à la carte pela operadora.

Seja o primeiro a comentar ;)

Postar um comentário

  ©Noticias da tv brasileira - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo